Páginas

sábado, julho 5

Foi esse sorriso...

A cama está ocupada com dois corpos e eu dou comigo a olhar para o tecto a pensar em tudo o que já vivemos, em tudo o que já passamos, em tudo o que já te fiz sofrer e em todas as coisas maravilhosas que te fiz sentir. Lembro-me de todas as palavras de conforto que tu sempre foste capaz de dar. Ouço subitamente o meu coração bater com força. Olho-te vislumbrando um sorrido delicado, mas não é o mesmo sorriso que vi no primeiro dia que te deitaste comigo, é outro, completamente diferente. Levanto-me ao de-leve, visto-me com toda a rapidez que posso e desço as escadas do apartamento levando no pensamento esse sorriso delicado.


Descendo as escadas penso para mim próprio sobre como poderei eu voltar atrás? Recuar mais do que três anos. Apenas três anos para aquele dia antes de te ter conhecido. Certamente que eu nunca te teria dito "Olá"! Ter-te-ia deixado ir, porque tu mereces tanto mais do que tudo isto. Tanto mais do que um simples sorriso no rosto, tanto mais do que um falso conforto sobre o corpo. Não, meu amor, a culpa não é tua, é minha porque eu vejo nesse teu delicado rosto, que mereces muito mais do que isto, mereces muito mais do que tudo aquilo que te dou todos os dias. Mereces o calor das estrelas e não o frio da lua que olha sobre nós através da nossa janela.

Entro na loja ao fundo da rua, e saio com um saco nas mãos, correndo o mais que posso para que chegue antes do momento de acordares sem mim. No pensamento trago de novo a ideia de nunca te ter dito olá. Sim eu nunca te teria dito olá! Chego a casa com um sorriso estranho no rosto. Sobre o meu lado da cama deito o saco. O saco que na verdade é um ramo de flores.

Viraste para me abraçar. Mas a única coisa que abraçaste foi o ramo de flores. Acordas com os olhos ainda carregados de sono e olhas-as com questões. Vês-me e sorris, esfregas o olho direito e sorris intensamente. Nesse momento o que me ia na cabeça era se tinha escolhido as flores certas. Parece que sim. Sim! É esse o sorriso que ansiava ver esta manhã no teu rosto.

Foi esse sorriso que se manteve todo o dia.

1 comentário:

  1. Certamente que é quando eu mais precisarei dele.
    ADOREI!

    ResponderEliminar