Páginas

terça-feira, maio 27

Quando eu mais precisar...


Ergues-te diante de mim.
As palavras saem-te quase atropeladas umas nas outras. As tuas mãos tremem e dizes-me que não sabes bem porquê. Apoias o teu corpo sobre o meu envolvendo o meu pescoço com as tuas mãos. Onde foi que falhei? Perguntas-me tu quase de lágrima no rosto. Eu não sei onde falhaste, mas eu posso-te dizer em que é que eu falhei. Mas irei evitar dizer-te porque só quero resolver as coisas, só quero fazer o que é melhor para mim, o que é melhor para ti e o que nos pode fazer sentir bem um com o outro.

De certo modo ao arriscares, ao abrires o teu peito dessa maneira tão orgulhosa com uma pontinha de delicadesa fa-me sentir forte e ao mesmo tempo tão estranho.

És linda! E nunca deixes que ninguém te diga o contrário. És uma excelente profissional, és amável, sonhadora, calorosa, inteligente, boa comunicadora, adoro os teus interesses. Esforça-te minha ovelha negra, esforça-te para que tudo o que temos dê resultado. Se for preciso poderei sacrificar algumas coisas hoje para te ter comigo amanhã.

Diz-me apenas que estarás do outro lado do telefone quando eu mais precisar.


Sem comentários:

Enviar um comentário