Páginas

sábado, outubro 12

Tudo parece fazer sentido...

Eu amo-te! Sempre amei! Amo a forma como o teu nariz fica quando te ris. Amo a doce voz que soltas das cordas vocais e que me fazem alegrar os dias. Amo quando me pegas na mão pedindo-me inconscientemente que te proteja de alguma coisa. Adoro quando falas para mim sobre o que te preocupa e contas-me os teus segredos e desvairos. Adoro quando me apertas no meu dos teus braços contra o teu peito. Adoro como o teu corpo se encaixa no meu. adoro como os teus olhos brilham quando olham para mim, a inteligência que vai nessa tua cabeça, da tua despreocupação, dessa vontade de criar vida onde ela não há, de alterar e de desfazer futuros de alterar passados na memória, de ler livros em voz doce e harmoniosa. Adoro como o teu corpo mantém o cheiro, esse teu cheiro natural a baunilha ou quando estás mais descansada, o cheiro a rosas.

Apesar de muitas vezes não gostar do tom e da maneira como falas de ti, como falas assim mal do que és, do que achas que és, do que achas que em ti te fica tão mal, quando te torna tão perfeita, tão única e deliciosa à minha alma.

Tudo parece fazer sentido quando olho, falo, sinto o teu calor, saboreio os teus lábios. 
Tudo parece fazer sentido.

Sem comentários:

Enviar um comentário