Páginas

domingo, setembro 1

Aflijo-me nas horas mortas...


Sinto um vazio dentro de mim, dentro do meu coração. Algo que não consigo explicar muito bem. Um vazio que parece magoar o estômago, que parece prender as batidas. Por vezes parece que sinto o coração parar por não saber bem pelo que bater. Aflijo-me nas horas mortas em que penso em ti, em que revivo os momentos que passámos juntos. Os bons momentos, porque os maus eu não me quero lembrar deles, eles que se fiquem pelo esquecimento dos tempos, prefiro saber dos bons, das longas horas que passávamos juntos, das mãos dadas, dos beijos nos lábios e nos pescoços suados. 

Custa-me não te ter ao meu lado,, tanto na cama como no dia-a-dia, mas julgo que foi melhor assim por agora, para que possas pensar melhor na tua vida e dar-lhe mais valor.  Valoriza mais a tua vida real do que a vida virtual que levavas à quase dois anos. Desculpa se te fiz sentir mal e perdida. Só queria que desses valor à nossa vida e principalmente à tua, pois há já tantos meses que não vias a tua família. Quero apenas o melhor para ti, sabes bem disso sempre tu disse.

Estes tempos podem ser difíceis agora mas eles vão passar.
Perdoa-me. 

Sem comentários:

Enviar um comentário